Laboratório da USP busca soluções para o lixo eletrônico


O que fazer com o produto eletrônico que não é mais útil?

 Respostas à indagação poderão vir de pesquisas feitas no Laboratório de Sustentabilidade em Tecnologia da Informação e Comunicação (Lassu) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP).

Entre as tarefas do Lassu, estão investigar soluções e tecnologias para o tratamento e reciclagem de eletroeletrônico e formar pessoas capazes de lidar com essas questões, explica a diretora, Tereza Cristina Carvalho.



"Aqui serão feitas pesquisas para identificar critérios e técnicas que possam dar condições de o produto completar o seu ciclo de vida", afirma o diretor da Poli, José Roberto Cardoso. "Continuaremos a fazer tudo o que o engenho humano possa produzir, mas com a preocupação de dar conta de fechar o ciclo de tudo o que criamos", destaca o chefe de departamento de Engenharia e Sistemas Digitais, José Sidnei Martini.

Vinculado ao Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais da Poli/USP, o Lassu atua nas áreas de ensino, pesquisa, cultura e extensão com a tríplice missão de cuidar do desenvolvimento social, proteção ambiental e crescimento econômico-sustentável. No ano passado, recebeu o Prêmio Iniciativa Verde da Revista Info Exame, na categoria inovação.

Sustentabilidade

O Lassu está aberto a pesquisadores e parcerias com organizações públicas e privadas que queiram tratar da questão, salienta a diretora. A área de extensão e cultura está com vagas abertas para o curso MBA em Sustentabilidade em Tecnologia da Informação e Comunicação, que trata das novas tendências em TIC e gestão para um mundo mais sustentável. Com 40 vagas, a primeira turma começará em agosto.

Entre as possibilidades de pesquisas a ser desenvolvidas, relacionadas pela diretora, está a avaliação do ciclo de vida dos equipamentos para saber até que ponto é possível aumentá-lo, ou criar computador "mais reciclável". O uso racional de recursos abre a possibilidade de desenvolver Data Centeres "verdes" (econômicos e sustentáveis) e equipamentos com ecodesign, ou seja, feitos com materiais e tecnologias mais adequadas à reciclagem. Está em desenvolvimento pesquisa sobre uso eficiente de energia em sistemas de tecnologia da informação, como no caso de equipamentos de redes e comunicação de dados, cujos gastos costumam ser elevados. Tal projeto está sendo desenvolvido em parceria com um centro industrial de pesquisa internacional.

Cadeia produtiva 

Outras questões importantes para o Lassu, destaca Tereza Cristina, são a aplicação de tecnologia de informação em questões ambientais para tornar possível o retorno da matéria-prima à cadeia produtiva e o incentivo às empresas para criar projetos sustentáveis. Na área social, desenvolvem-se dois projetos: treinamento de catadores no manuseio e negociação de lixo eletrônico e formação de jovens em microinformática e na reciclagem de lixo eletrônico.

Até 2012, serão capacitados 180 catadores, em parceria com o Instituto GEA e financiado pelo Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, para tratar o lixo eletrônico e fazer a sua destinação correta. A capacitação começou em abril e a cada mês é formada nova turma de 10 catadores. Já o programa de treinamento de jovens (com idade entre 17 e 20 anos) de baixa renda, o Paideia, ajuda na inserção do jovem no mercado de trabalho e concede bolsa de estudo a ser bancada pelos empresários parceiros.

Os dois programas sociais oferecem conhecimentos teóricos e práticos. As aulas práticas são ministradas no Centro de Descarte e Reúso de Resíduos de Informática (Cedir) da USP. Com o apoio dos catadores e dos jovens do Paideia, a previsão é melhorar a produtividade do Cedir, que inspirou a criação do Lassu.

Serviço

O Lassu fica na Av. Professor Lúcio Martins Rodrigues, travessa 5, nº 97 (ao lado do Cedir) - Cidade Universitária - São Paulo. Visite o site lassu.usp.br, Facebook lassu.usp. Telefone 3091-1092, e-mails lassu@usp.br e carvalho@usp.br.
IKEOZZ
Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Basta clicar em um dos ícones acima. Gratidão.