História dos perfumes - A Grécia antiga

História dos perfumes - A grécia antiga


Perfume: Artigo fundamental na adoração aos deuses


Para os gregos antigos, os perfumes eram absolutamente fundamentais para a adoração aos deuses e deusas, acreditavam que algo tão maravilhoso devia realmente ter vindo das divindades: grandes quantidades de perfumes eram usadas em cerimônias religiosas, em especial nos funerais, e os pobres demais para comprar fragrâncias para seus funerais simplesmente pintavam um frasco de perfume no caixão.

Um livro inteiro, 'Concerning Odors' - escrito por Theophrastus, 'o pai da botânica' - foi dedicado aos perfumes, suas páginas documentam a nardo, a íris, o cisto, rosa, hortelã, murta, jacinto, canela e narciso, entre outros ingredientes utilizados à época.

Os gregos desempenharam um papel crucial no desenvolvimento da perfumaria. Foram eles que primeiro passaram a moer plantas e resinas aromáticas diluindo-as em óleo, criando assim os primeiros perfumes para usar na pele. 

Talvez o que mais ajudou a fragrância a "pegar" na Grécia antiga foi o grande interesse em higiene, tanto que a própria palavra deriva do grego "Hygéia", que significa “sã” ou “sadio”.

Hipócrates - "o pai da medicina" - era grande defensor da higiene, prescrevendo, dentre outros, o uso de perfumes para ajudar a prevenir doenças. 

Os gregos adotaram a aromaterapia, tornando-a prática e científica, e não mística. Homens e mulheres ficaram obcecados com o 'culto ao corpo': mulheres, em toucadores em seus aposentos privados, homens mais publicamente, ungindo-se nos banhos públicos, após o exercício. (Um ritual que permanece nos vestiários da academia de hoje.)

Por meio das conquistas de Alexandre, o Grande, no Oriente, especiarias, incenso e novos ingredientes de perfume foram disseminados, comercializados na Grécia, China, Índia, África e Arábia - Eram considerados tão preciosos quanto ouro e com demanda igualmente alta.

Ingredientes de perfume à base de animais - almíscar, âmbar - também foram usados ​​pela primeira vez na Grécia antiga, acrescentando grande sensualidade às fragrâncias. E também fixação, já que muitos ingredientes de origem animal são ótimos fixadores. 

O perfume não era mais para o gozo exclusivo dos deuses. 

Misturas perfumadas foram introduzidas na vida cotidiana, usadas por poetas, atletas e lindas mulheres gregas - e as lojas de perfumaria que abriam por toda Atenas, exibindo esses aromas, tornaram-se centros de fofocas, escândalos e intrigas políticas.


Próximo: A Roma antiga, quando fontes fluíam com água de rosas e fragrâncias.

TICKKS.com
Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Basta clicar em um dos ícones acima. Gratidão.