7 fatos surpreendentes sobre infidelidade que você precisa conhecer

fatos surpreendentes sobre infidelidade que você precisa conhecer




Há mais coisas entre a fidelidade e a infidelidade do que imaginam nossos vãos preconceitos.


A infidelidade é bem mais frequente do que sabemos, mais complexa do que que julgamos e mais simples de administrar do que administramos.

A causa da infidelidade nunca é simples como gostamos de imaginar, em geral há muitas camadas envolvidas no processo. E esse processo nunca é de responsabilidade de somente um dos parceiros.

Existe sempre responsabilidades conjuntas, se não por agir, mas por deixar de fazê-lo.

Sim, a omissão é uma grande indutora da infidelidade. E geralmente, quem se omite é quem acaba sendo traído.

Livros, programas de televisão, novelas e o cinema usam frequentemente a infidelidade em seus enredos. 

Trair é muito empolgante se nos apegarmos somente à estas referências culturais, mas os motivos pelos quais as pessoas traem são mais complicados do que simplesmente para  sentir uma descarga de adrenalina.

Casos extraconjugais raramente têm a ver só com sexo, quase sempre se trata de alguém que precisa de validação e de aceitação. Alguém que não se sente compreendido, amado ou até que tenha problemas no trabalho.

Portanto, embora a infidelidade possa nos parecer simples, na realidade não é.

Vamos então a alguns fatos surpreendentes sobre a infidelidade.


A infidelidade é mais provável por quem não paga as contas


Você poderia pensar que as pessoas não mordem a mão que as alimenta,  mas é o contrário.

Segundo Christi Munsch,  professor assistente de sociologia da Universidade de Connecticut, que recentemente estudou a associação entre infidelidade e dependência econômica, é mais provável que você traia se depender economicamente de seu parceiro.

Sua pesquisa, publicada na  American Sociological Review, descobriu que os homens economicamente dependentes têm mais probabilidade de trair do que as mulheres economicamente dependentes.

Especificamente, há aproximadamente 5% de chance de que essas mulheres trairão seus maridos em algum momento, contra aproximadamente 15% de chance de que homens em circunstâncias semelhantes o façam.

Essa prevalência indica que os homens se envolvem nesse comportamento "hipermasculino compensatório", a traição, que  permite que ele, de certa forma, reforce a masculinidade que porventura sinta abalada por ser dependente de uma mulher.

A infidelidade é mais comum também quando há grande disparidade de renda entre o casal.


A infidelidade é mais comum por quem trabalha em um ambiente dominado pelo sexo oposto


Os homens que trabalham em locais com muitas muitas mulheres ou que sejam submetidos à autoridade feminina tem maior probabilidade de serem infiéis, mas isso não é verdade para as mulheres em campos dominados por homens, diz Munsch.


A infidelidade é mais comum se um dos parceiros finge orgasmo


Existem razões pelas quais as pessoas fingem orgasmos: para ter certeza de que seu parceiro se sente satisfeito ou realizado, ou para garantir que seu parceiro não procure outra pessoa. 

No entanto, esse ato simples pode ter um resultado contrário ao desejado. Um estudo de 2013 publicado no Archives of Sexual Behavior concluiu que fingir orgasmos tem relação direta à infidelidade feminina e masculina.

Fingir um orgasmo deixa a pessoa mais do que apenas insatisfeita. É um alerta gritante de que o relacionamento não a satisfaz sexualmente, diz Berman. Isso aumenta a probabilidade da mulher ou do homem procurar ou ceder a outra pessoa.


Infiéis tem mais dificuldade em usar preservativos


Casais infiéis têm menos probabilidade aceitar ou negociar o uso de preservativos, de acordo com um estudo de 2012 no The Journal of Sexual Medicine. 

Esta descoberta é compreensível se você cavar fundo na mente dos infiéis.

Uma pessoa infiel não vai se sentir a vontade para sugerir o uso de preservativo ao parceiro, pois isso soará como uma quase confissão. Um casal certo da fidelidade mútua não terá problemas em usar preservativo, nas ocasiões em que isso for necessário.


Infiéis tendem a expor seu relacionamento (oficial) nas redes sociais


Quase como um escudo padrão, uma declaração pública de fidelidade e felicidade, os infiéis tendem a expor frequentemente fotos com o parceiro(a) oficial nas redes sociais.

Declarações e fotos em dupla são extremamente comuns. Repito: Extremamente.


Os infiéis não querem o fim do relacionamento


Para o infiel, infidelidade não precisa (e não deve) terminar em divórcio, diz David Straker, professor assistente adjunto de psiquiatria no Columbia University Medical Center em Nova York. 

Quase sempre o objetivo do infiel não é substituir seu relacionamento "principal", mas apenas obter fora o que não tem dentro dele.


A infidelidade é mais provável por parte de quem têm dedos anelares longos


Continue a ler depois de olhar no seu próprio dedo vai!

Pessoas que têm dedos anelares mais longos do que dedos indicadores são mais propensas a trair, de acordo com um estudo  realizado pela Universidade de Oxford. 

É uma consequência da maior exposição à testosterona no útero. Curiosamente, isso é verdade tanto para homens quanto para mulheres.


Aí estão os 7..... Opsss, tem mais um....


Trair é bem mais fácil nos dias de hoje


Moralidade à parte, encontrar alguém para ter um caso nunca foi tão fácil quanto atualmente.

Ao contrário de antigamente, hoje você coloca a mão no bolso, abre um aplicativo e pronto.

Com a abertura sexual ficou também mais fácil para os homens (e mulheres) se envolverem com alguém do mesmo sexo.

Encontrar alguém do mesmo sexo afim de dar umas escapadinhas é mais fácil, mais seguro e mais simples de gerenciar do que encontrar e gerenciar um caso com alguém do sexo oposto.

As pessoas nos dias de hoje procuram praticidade, e nada mais prático que alguém que pense como a gente e não vai ficar cultivando esperanças de casamento no altar da igreja mais próxima.


E é só. Abraços.


CONVERSATION